[FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno

Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno

Mensagem  Roen em Sab Dez 28, 2013 5:11 pm

Capitulo 1- Clã
"Há três métodos para ganhar sabedoria: Primeiro, por reflexão, que é o mais nobre;segundo por imitação, que é o mais fácil; e terceiro, por experiencia, que é o mais amargo." Confucio

Musica do capitulo - Fullmoon - Sonata Arctica
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

-Benção!!Aumentar Agilidade!!Kyrie Eleyson!!Curar!!Curar!!Curar!!-Gritava o Sacerdote, enquanto um templário avançava em cima de uma grande cabeça de pedra que flutuava. A água pingava do teto da caverna, e as únicas coisas que eram ouvidas era o barulho de espada se chocando contra a pedra, e de bençãos sendo lançadas.
-Golpe Fulminante!! - Gritou o templário acertando o monstro em cheio, que revidou com força o ataque, mas foi pego de surpresa quando o próprio dano do seu ataque se voltou contra ele.-Isso é tudo que um Monstro Veneravelmente Poderoso pode fazer? - murmurou o templário.-Toma isso seu monte de cascalho!!Escudo Bumerangue!!- Com força o templário puxou o braço para trás e arremessou o seu enorme escudo contra o monstro, que desmoronou virando um monte de pedras quebradas no chão, uma enorme explosão vermelha apareceu sobre a cabeça do garoto e nela podiam ser lidas as letras "MVP".
-Esse foi o "chá" eu ver...quinto MvP esse mês...estamos indo em um ritmo até que bom.-Falava o sacerdote se aproximando do templário que remexia as pedras atras de tesouros.
-HaHa!! Um Oridecon,um Elunium, um bocado de pedras preciosas e...PUPA QUE SE ABRIU!! - berrou o templário correndo para perto do sacerdote.
-O que foi Roen?Que que aconteceu? - falava o sacerdote preocupado.
-Olha isso,Master!!- Entre os dedos de Roen havia um objeto retangular e achatado.Uma carta.Não era uma carta qualquer mas uma carta Tao Gunka, uma das cartas mais desejadas por todos em Rune-Midgard.
-Carvalho!!Estamos ricos, se a gente vender esta carta a gente vai poder comprar qualquer equipamento em Prontera!!-Gritava Master com animação.
-A gente não vai vender!!-Protestou o templário.
-Como assim?Eu ajudei a derrubar ela, a gente vai vender e vai dividir o dinheiro.
-Esta aqui eu vou guardar, alias a gente não precisa tanto de equipamentos atualmente.E eu já tinha uma armadura preparada para esta carta faz tempo.Você esta atras de uma Abelha Rainha, não esta?Então vamos la acabar com ela e você fica com a sua e eu com a minha.Que tal?-Falava Roen acariciando a carta que estava em suas mãos.
-Por mim a gente vendia...Mas você que sabe...-Disse o sacerdote a contra gosto.

Haviam se passado seis meses desde o combate em Morroc, Roen e Master haviam passado este tempo explorando Rune-Midgard, lutando contra monstros, trazendo esperanças a algumas pessoas que eram assoladas por feras terríveis, ganharam experiencia, riquezas e um pouco de fama.Estavam passando em Comodo e haviam ouvido a história de um monstro que estava atrapalhando algumas pessoas em uma caverna da cidade e ele haviam acabado de derrota-lo.E agora seguiam para a taverna de Comodo onde iam festejar mais esta vitória.

-Duas canecas de hidromel, taverneiro!!-Falou o templário ao entrar na taverna.O homem trouxe rapidamente as bebidas que ambos beberam dando um grande gole.
-Derrotaram ele Master? - Perguntou um Bruxo em uma das mesas.
-Se derrotamos? Nós comemos aquele monstro vivo!-Respondeu o sacerdote sorrindo e levantando a caneca com a bebida.E todos que estavam na taverna gritaram com euforia.
-Nós chegamos la a caverna era escura, mas nada impediu que nós...-Roen havia subido em uma das mesas e estava contando como haviam entrado na caverna, como haviam achado o monstro e como o haviam derrotado, todos prestavam atenção e um silencio pairava no recinto.-E ai eu gritei, ESCUDO BUMERANGUE!! E joguei o escudo nele, então ele deu um grito e caiu ao chão se arrebentando em vários cacos de pedra e então ele deixou cair isto!-Puxou então a carta que carregava em sua mochila e levantou para que todos vissem, muitos ficaram espantados com a visão e gritaram de euforia.
-Taverneiro!!-Master chamava a atenção do homem atras do balcão, e elevando a voz para que todos no local ouvissem -A próxima rodada de bebidas é por nossa conta!! - E mais uma vez todos gritaram.Master jogou uma bolsa com algumas moedas de boa prata em cima do balcão que o taverneiro fez questão de recolher rapidamente. Um bardo tocava animadamente uma musica, odaliscas dançavam. Os dois amigos se recostaram no balcão e pediram algo para acompanhar a bebida.
-Você tem que parar de ficar embebedando toda Rune-Midgard assim.-Falou o templário ao amigo.
-Se a gente vender esta carta eu posso pensar no seu caso.
-Então pode continuar embebedando a todos.-sorriu Roen
-Bem parece, que vocês estam em uma situação bem melhor que da ultima vez que nôs vimos.-Quem dizia isto era um cavaleiro de cabelos loiros.
-Yukimura!!-Exclamou Roen depois de perceber que o amigo não usava mais óculos.E o abraçou.
-A quanto tempo!Parece que você se tornou um grande aventureiro.-Respondeu o amigo devolvendo o abraço.
-E você? O que anda fazendo da vida? Taverneiro!!Mais um prato e mais uma caneca de bebida aqui!!
-Não, não precisa se preocupar comigo, eu vim aqui para comprar algumas poções da fúria.Agora sou Lider de um Clã.-Ao dizer isto Roen percebeu que no peito da armadura do cavaleiro havia desenhada uma pena amarela em fundo preto e logo abaixo vinha um pequeno "V" em branco.
-Você anda participando das guerras? Qual o nome do clã? - Perguntava Roen enquanto dava mais um gole em sua bebida.
-Não,nós ainda somos iniciantes, e não ainda não temos permissão para usar o Chamado Urgente... O nome é Vongola. -respondeu o cavaleiro enquanto se sentava ao lado do amigo.-Você não gostaria de se juntar a nós?Juntos a nós poderemos vencer qualquer um.
-Hmm...Não é má idéia.O que você acha Master?
-Bem...Eu não gosto tanto da Guerra do Emperium.Prefiro lutar contra monstros ao invés de pessoas.Mas se você quiser se juntar não vejo nada de mal.-Respondeu o Sacerdote ajeitando seus óculos no rosto.
-Então, esta feito.Pode me convocar.-Roen se levantou e agachou em frente ao cavaleiro que sacou sua espada e a pousou duas vezes uma em cada ombro do templário.
-De hoje em diante você sera conhecido como um Guardião Vongola!-falou o cavaleiro, um pequeno emblema igual ao que havia na armadura de Yukimura apareceu sobre o lado direito da armadura da armadura de Roen.-Pronto, seja bem vindo!!Tome.-O cavaleiro pegou um pequeno pergaminho e o deu para o templário-este é o mensageiro do clã.É um pergaminho mágico que lhe permite conversar com o resto do clã desde que eles tenham um também, as mensagens somem logo após um tempo.E se você quiser conversar com eles é só escrever no papel.
-Muito Obrigado!!-disse Roen, recebendo o pergaminho, quando o abriu podia se ler :
"Linilja diz:Bem vindo Very Happy!!
Thorion diz:Seja bem vindo Roen!!
Samanusuke diz:Bem vindo nega!!
Sara diz: Bem vindo!^-^
Stamina diz: Bem Vindo manolo

E vários outros nomes diziam o mesmo.Roen então pegou uma pena e um pouco de tinta que trazia em sua mochila e escreveu com uma letra um pouco torta:Muito Obrigado a todos!!Heh!!
-Então, o que vocês farão agora?-Perguntou Yukimura aos dois.
-Bem, nos disseram que um grupo de baderneiros estão quebrando galhos secos em frente Prontera, e estávamos indo lá para ver isso. - Respondeu Master engolindo um pedaço de carne.
-Que conhecidencia eu estava indo fazer o mesmo, havia até mandado algumas pessoas irem investigar isto.Por que não vamos juntos pela a manhã.
-Então esta tudo bem. - Respondeu Master, espiando o que Roen escrevia no papel.

De manhã os grupo se juntou e foram até a funcionária kafra que os recebeu com um sorriso e os mando para Morroc onde outra funcionária os mandou para Prontera.
Logo ao sair da cidade viram um pequeno grupo de guerreiros, Yukimura levantou a mão, e eles responderam da mesma maneira.
Alguns guerreiros pertenciam ao clã mas outros estavam apenas ali para investigar sobre aqueles que estavam soltando os galhos.Roen se espantou ao ver entre os guerreiros uma cavaleira de cabelos azuis e olhos da mesma cor. Seu coração bateu mais forte ao perceber que a cavaleira era Clarissa.

Roen
O.V
O.V

Mensagens : 33
Data de inscrição : 11/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty Capitulo 2

Mensagem  Roen em Sab Dez 28, 2013 5:12 pm

Capitulo II- Roleta
"Todo desejo tem um objeto,que sempre é obscuro.Não existem desejos inocentes."
Luís Burñuel

Musica do Capitulo - Roullete - System of a Down
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Roen observava a Cavaleira, fazia três anos que não a via.Ela havia crescido muito seu corpo começava a adotar a forma de um corpo de mulher. Ele não esperava encontra-la ali, se preparando para investigar sobre casos de baderneiro que quebravam galhos secos. O templário pensou em ir falar com a garota e deu um passo a frente, mas sentiu alguem lhe puxando o braço.Era Master, que balançou a cabeça e apontou para o Justiceiro que vinha se aproximando da garota. Roen sentiu um gosto amargo na sua boca e uma dor no estomago
-Agora não é hora nem lugar para isto. - Falou Master em tom reprendor
-Você tem razão... melhor deixarmos isto para depois.
Yukimura conversava com um sacerdote e um mercenário, e chamou a Roen e Master para que viessem para perto.Chegando, foram apresentados a Tai o sacerdote e a Samanusuke o mercenário. Ambos membros do clã de Yukimura.
-A ultima vez que eles foram vistos foi na parte mais sul deste quadrante.-Falou o Sacerdote.
-Mas também há relatos de aparições mais a oeste.-Completou o Mercenário.
-Faremos o seguinte, vocês dois irão se juntar aos outros guerreiros e ir a oeste, Master, Roen e eu iremos para sul com o outro grupo.Qualquer coisa é só mandar uma mensagem.-Falava o Cavaleiro.
-Tudo bem, vamos Tai.-Respondeu o Mercenário, indo se juntar ao outro grupo de guerreiros.
-Nós iremos com o outro grupo.
-E qual seria? - Perguntou Roen.
-Iremos com a Cavaleira e com o Justiceiro.Não sei se você se lembra dela,ela lutou com você quando nôs tornamos Espadachins.-Estas palavras bateram como um martelo na cabeça do Templário, iria no mesmo grupo que Clarissa.-Vamos lá, da um "Oi"-O grupo se aproximou, Yukimura conversava com o justiceiro.Roen e ela trocavam olhares, não sabia como se aproximar, e seu coração batia forte.Seu amigo deu um tapa no braço e disse para ele:
-Vai la falar com ela!
-Falar o que?
-Fala que você sentiu saudade, pergunta o que ela tem feito...relaxa mano,vai tranquilo, vai la "pequeno gafanhoto".
Roen deu uma passo a frente,então o Justiceiro abraçou o braço da garota e disse:
-Vamos?Temos monstros a matar.
-Vamos.-falou o templário a contra gosto.

O grupo avançava pela pianice, o sol batia vindo de cima, já devia ser meio-dia.Yukimura limpou o suor da testa com a parte posterior da mão. Master puxou uma pequena garrafa com suco de uva de sua mochila. O Justiceiro ia abraçado junto da Cavaleira. Roen vinha por traz do grupo junto de Master. Avançaram um pouco mais, e avistaram um grupo de três pessoas, composto de uma Arruaceira, um Arruaceiro e um Ferreiro.
-HeHeHe!!Isto vai causar um estrago em Prontera!! - Disse o Ferreiro, pegando vários galhos de seu carrinho.
-Logo após quebrarmos eles poderemos pegar as mercadorias dos mercadores. - Falou a Arruaceira.
-HaHaHaHa!! VAI SER UM ESTOURO!!-Disse o Arruaceiro.
-É mesmo?Que interessante isto!-Falou Yukimura com uma enorme espada apoiada em seu ombro.
-O que vocês fazem aqui?Vão embora!-Gritou a Arruaceira.
-Vocês estão todos presos em nome da Cavalaria de Prontera!-Falava Roen apontando sua espada para o grupo.
-Vou te da uma bifa, te pénabundear e você vai cair de banda!-gritou o ferreiro avançando para cima do templário.-Adrenalina Pura!!Amplificar Poder!!Força Violenta!!Manejo Perfeito!!
-Punição Divina!!-gritou o templário acertando com o escudo o ferreiro que voou alguns metros em cima de seus companheiros e caindo atordoado.-Ainda quer tentar lutar contra mim,Roen, O Escudo Máximo de Deus?
-Que humildade!Heh!!-Disse Master em tom ironico.
-Ora,seus...-disse a Arruaceira pegando os galhos secos, arremessando eles no chão e quebrando todos com a ponta de seu salto alto.Vários monstros começaram a sair dos galhos e eles foram facilmente repelidos pelo grupo até que saiu um grande Cavaleiro do Abismo, e um Cavaleiro Sanguinário. - Pinote galera!!-Gritou a Arruaceira.
-Heh!!Olha quem encontramos de novo Master!-Disse Roen.-O Cavaleiro do Abismo é nosso, vocês três...-olhou para Clarissa e sentiu um aperto no coração.-lutem contra o Sanguinário.
-Ok! - Respondeu e os três em uni som.
O templário avançou sobre o monstro, que ergueu sua espada e deu um pesado golpe que Roen bloqueou.-Crux Divinum!!-Bradou o templário fazendo um corte vertical e um horizontal que formaram uma grande cruz de luz.O cavaleiro recuou perante o ataque.
-Aspercio!!Benção!!Aumentar Agilidade!!Imposito Manus!!Kyrie Eleyson!!Lex Aeterna!!Luz Divina!!Luz Divina!!-Gritava Master, dois cálices se materializaram sobre o templário e bateram seguidos de vários anjos que jogavam suas bençãos e espadas translucidas caíram sobre o monstro.Várias esferas de luz voavam das mãos do sacerdote. O Monstro recuava e o templário ia ganhando espaço na briga,o cavalo ia recuando, até Roen lhe cravar a espada no peito.-Impacto Explosivo!!-Gritou o templário com a espada ainda cravada no cavalo que relinchava alto e empinando, derrubando o cavaleiro.O templário se aproximou sorrindo e disse:
-Isso terminou igual da ultima vez!Vai la falar para o Senhor das Trevas que precisa equipar melhor seus subordinados!-Então cravou sua espada no pescoço do monstro que se tornou um monte de poeira. O garoto então ouviu um grito de mulher.Sentiu uma pontada na barriga quando olhou para o lado e viu Clarissa caída no chão,com o sangue jorrando, Galard um pouco afastado encostado em uma arvore e Yukimura medindo forças bravamente, espada contra espada com o Cavaleiro Sanguinário.O templário sentiu uma fúria incontrolável dentro de si e avançou para sima do monstro cravando tão forte sua espada contra o elmo do monstro que perfurou ela de um lado ao outro.Um segundo golpe abriu um rombo na armadura de cima para baixo. E um terceiro derrubou quebrou o escudo junto da espada do templário. O monstro caiu inerte no chão. Roen correu para a Cavaleira e a tomou em seus braços, Master tentava cura-la, mas seus olhos não abriam.
-Usa Ressuscitar!!-Gritou o templário, lagrimas vertiam de seus olhos enquanto ele olhava para a garota que estava em seus braços.
-Não adianta,Ressuscitar não vai traze-la novamente a vida!Já te falei que ela não ressuscita pessoas...-tentou argumentar o sacerdote.
-USA!!
Master pegou uma gema azul e começou a fazer uma oração, a gema se desfez de sua mão, mas a garota não levantou.
-Eu disse que não ia funcionar, já cansei de reclamar com a guilda sobre o nome desta habilidade...-Dizia o Sacerdote com a mão em cima do ombro do amigo-Não se preocupe Roen...Ela deve estar no Valhala agora.
-Você deve ter razão...-falava Roen ainda com a garota nos braços.
-Na verdade...-Dizia o Justiceiro se levantando com dificuldade-Ela vai para... Nifflhein - Nifflhein era um lugar terrivel, onde a Hel, a deusa dos mortos pisava neles, o frio era intenso, e a terrivel Serpente Estripadora comia as tripas dos mortos todos os dias.
-O que?-Gritou Roen olhando na direção do Justiceiro.-Ela morreu em combate, como uma guerreira!!Como ela pode ir para Nifflhein?
-B-b-bem...-gaguejou o Justiceiro dando passos para traz -...a um ano atras... eu havia... bem... eu havia morrido... e ela fez um pacto com Hel para que eu não morresse no lugar da alma dela...
-E VOCÊ NÃO VAI FAZER NADA A RESPEITO FILHO DE SATANAEL?-Gritou Roen indo na direção do Justiceiro segurando ele pela a gola da camisa e empurrando ele contra uma arvore.
-O-o q-q-que eu p-posso fazer? - Chorava o Justiceiro.
-O QUE VOCÊ PODE FAZER SEU MARICAS?-Disse Roen largando o Justiceiro no chão.-Eu vou a Nifflhein, vocês vem? - Falou Roen calmamente enquanto se virava para Master e Yukimura.
-Bem... Acho que não é mal fazermos uma visita para a Loli e para o GodLord não é? - Falou Master.
-Acho que seria uma viagem interessante. - Respondendo Yukimura com um sorriso no rosto.
-Então vamos a Prontera fazer os preparativos. - Disse Roen, enquanto os três seguiam para a cidade.

Roen
O.V
O.V

Mensagens : 33
Data de inscrição : 11/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty Capitulo 3

Mensagem  Roen em Sab Dez 28, 2013 5:13 pm

Capitulo III - Inferno
"Como você pode estar no inferno se esta em meu coração." Cruzada


Musica do Capitulo- Dont Fear The Reapper - Blue Oyster Cult
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Prontera estava especialmente cheia naquele dia, uma masa de calor reinava. Vários mercadores gritavam suas promoções e muitos preparavam suprimentos para venderem pois era dia de guerra no qual o lucro era quase certo. Um grupo de três pessoas avançavam pela cidade rumo ao centro, não estavam interessados na guerra. Chegaram até uma pequena casa que ficava perto da hospedaria. O Sacerdote tirou um molho de chaves e abriu a casa. Era uma residencia pequena, mas suficiente para duas pessoas. Havia dois quartos, dois banheiros, uma pequena sala com uma lareira, uma cozinha e um armazém.
-Eu e Master vamos pegar o que precisamos para a viagem. A gente se encontra na fonte quando tivermos todos preparados.-Disse Roen.
-Tudo bem.-Disse Yukimura - Vou pegar meus equipamentos com a funcionária Kafra.
Master e Roen adentraram da casa que estava incrivelmente limpa, pois ambos passavam pouco tempo em casa e neste pouco tempo não a arrumavam. Master adentrou e gritou:
-Alice, Chegamos!! - Uma assistente Alice a qual cuidava da casa,veio sorrindo da cozinha com uma vassoura em mãos. - Mas já estamos de partida. Prepare nossos suprimentos que já vamos sair.-A assistente apenas assentiu com a cabeça e foi até o armazém preparar as poções e suprimentos para a viagem.
Roen subiu até o seu quarto,nele havia vários escudos pendurados na parede.Ele se aproximou de um enorme escudo feito de pedra, e verificou a carta que nele estava equipada, reconheceu o monstro,um Kalithisburg, tirou o escudo da parede e colocou o que estava com ele. Em um suporte havia uma armadura, ele a pegou e procurou por um pequeno espaço para cartas e colocou a carta que trazia em seu bolso. Foi até o seu armário onde havia vários chapéis e elmos, pegou uma boina azul com duas pequenas asas nos lados e colocou em sua cabeça.
Master apareceu na porta do quarto, trazia na sua mão direita um pequeno anel que tinha uma pedra azul, e um pequeno par de asas, na esquerda um rosário grande vinha amarrado no seu pulso.Foi até o armário e pegou uma tiara a qual ele havia ganhado de um amigo dele onde havia um par de asas que ficavam se movimentando e pôs em sua cabeça.
-O que você pensa em fazer em Nifflhein? - Perguntou Master finalmente ao amigo - Estou indo nesta porque não quero que você faça alguma besteira e creio que o seu amigo também esta indo nesta por este motivo.
-Eu vou fazer o que tem que ser feito! - Respondeu o templário com a cabeça baixa.
-Você gostava realmente dela não é?
-Muito!
-Só peço que não faça nenhuma besteira, te peço isto como seu amigo e me preocupo com você.-O sacerdote estava com a mão em cima do ombro do amigo.
-Pode ficar tranquilo. - Disse Roen com um sorriso no rosto.
Os dois desceram as escadas pegaram os suprimentos com Alice e se despediram dela.Logo após foram até o estabulo da Catedral de Prontera onde um garoto cuidava dos Peco-Pecos. O garoto já conhecia o templário e trouxe a ele imediatamente o seu Grand-Peco. O templário pegou uma moeda e deu o garoto que agradeceu dando um grande sorriso.
-E ai garoto!Faz tempo que a gente não se vê não é Chocobolo? - Falava Roen enquanto acariciava o pescoço do animal durante um abraço.O Grand-Peco deu um ganido como se dissesse o mesmo. O templário tirou da mochila uma ração para animais que o animal comeu. Logo após subiu na sela e Master subiu logo atras. Seguiram até o centro da cidade onde Yukimura esperava em cima de seu Peco-Peco.Trazia na cabeça uma coroa dorada que tinha uma pequena pedra vermelha encravada nela.
-Vamos? - Falou o cavaleiro para os dois.
-Vamos! - Disseram os dois em uni som.
O grupo seguiu para o sul da cidade e passou por um grupo de aventureiros e viram que um Justiceiro carregava um pano branco que parecia ter um corpo enrolado.Ao passar por ele, Roen o olhou nos olhos.O Justiceiro estremeceu com o olhar do templário, que lhe fez o sinal do mal,levantando o dedo indicador e o mindinho, e cuspindo no chão logo após.
Quando avistaram a funcionária Kafra o grupo pediu que os transportassem para Comodo. Uma luz azul cobriu o grupo e logo após se viram na cidade. Passaram por uma caverna que estava a leste, e logo após seguiram pela a floresta seguindo ao norte. Os monstros que apareciam pelo o caminho eram facilmente derrotados pelo o grupo.Cavalgaram por dois dias e chegaram em uma pequena tribo que vivia nas arvores conhecida por muitos como Umbala. Chegando na cidade foram abordados por alguns nativos que usavam mascaras de madeira. Yukimura rapidamente levou a mão a sua espada, mas Roen o impediu de sacar a espada
-Anauê!! - Disse Master aos nativos.E começou a conversar com eles.
-O que esta acontecendo? - Perguntou Yukimura confuso.
-Master sabe falar a língua deles.Já estivemos aqui antes por assim dizer... e acabamos ficando amigos dos nativos.
-Hmm...Interessante. - Falou o Cavaleiro enquanto passava a mão no queixo.
Depois de um tempo conversando com os nativos, Master fez um sinal para os amigos e eles foram levados até um buraco em uma arvore.
-Os nativos não ousam entrar ai - disse o sacerdote em tom sério- dizem que espíritos do outro mundo vagam por la e eles o temem, deste ponto eles não irão passar. - O sacerdote agradeceu aos nativos que acompanhavam com o olhar o grupo entrar pela a fenda na arvore. O grupo seguia em silencio, até chegarem as raízes de uma grande arvore onde viram uma grande escadaria de pedra.
-É aqui!-Disse o Templário - Vocês realmente desejam continuar comigo? Da qui pra frente começa um novo mundo,não,daqui pra frente começa o inferno.
-Já disse que não vou te deixar ir sozinho, não quero que você faça uma besteira. - Falou o Sacerdote com convicção.
-Eu não vou abandonar um amigo quando ele precisa de ajuda. - Disse Yukimura. Roen sorriu para os dois e começou a descer as escadarias seguido dos dois amigos.

Roen
O.V
O.V

Mensagens : 33
Data de inscrição : 11/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty Capitulo 4

Mensagem  Roen em Sab Dez 28, 2013 5:14 pm

Capitulo IV - Paladino
"A maldade bebe a maior parte do veneno que produz" Sêneca


Musica do Capitulo - Highway to hell - ACDC
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

-Meninha gosto muito de você!!Mas o que eu gosto mesmo é de MVP!! Sou um vampiro doidão!! Tchanananá!!Sou um vampiro doidão!! Tchanananá!! Quero morreeeeeeer todo peladão!! Tchananana!!- Cantava uma voz que tinha um tom de escarnio, as notas do alaude saiam da mesma forma que a canção saia da boca daquele ser. Estava sentado em cima de uma lapide, seus cabelos eram castanhos, seus olhos vermelhos como sangue e sua pele branca como a neve. O vento soprava frio, a terra daquele lugar era infértil, a noite era eterna e o brilho das estrelas era inexistente.
-Muito bom, muito bom!Bis!! Bis!! Bis!!- Batia palmas uma menina loira, sentada no que parecia ser uma lua minguante que flutuava acima do chão.-Toque outra musica Godlord.
-Bem vamos lá, é um, é dois, é trés, é um dois três e vai!!! Vai!! Vai!! Vai!! Vai! Vai!! Vai!! Vai!! Vai!! Vai! Vai!! Tchananá,Tchananánáaa...-Começava novamente o bardo. Perto dali de uma escada de pedra emergia um pequeno grupo de três pessoas. O vento frio soprou forte e fez com que os três tremessem. O templário que vinha na frente puxava um Grand-Peco pelo o seu arreio, logo atras vinha um sacerdote um pouco encolhido pelo o frio e um cavaleiro fazendo o mesmo que o templário com seu Peco-Peco.
-Olha parece que temos visita!!-Exclamou a menina que estava sentada na lua.
-Que grande surpresa!!Olhe é o Master e o Roen. - Disse o bardo que descia da lápide e andava dando pulos na direção do grupo.-Vamos la da um "oi" pra eles Loli.
Os dois avançaram a longa passadas até alcançarem o pequeno grupo que reconheceram os reconheceram.
-A quanto tempo Master!!-Falava o Bardo.-Pensei que depois do que aconteceu antes vocês não iam voltar mais.
-É...Ocorreu um incidente...e precisamos falar com a Hel...-Começava o Sacerdote que batia o queixo com o frio.
-Falar com a Hel? Depois que vocês mataram o paladino dela, causara confusão com uma bruxa, e quase destruírem a fonte do castelo dela? - Brincou Loli.E se virou para Roen dizendo-E alias a quanto tempo Roen... achei que você tinha esquecido de mim!
-Você sabe que você esta aqui no meu "ésse-dois" né? - Brincou o templário.-Mas...Preciso falar com uma pessoa que veio para cá recentemente.
-Como que essa pessoa é? - Perguntou a garota.
-Ela tem quase minha idade, olhos azuis como o mar e cabelos da mesma cor.
-Hmm...Acho que eu vi uma garota assim... parece que ela esta na cidade... ela parecia muito triste, e estava chorando. - Estas duas ultimas palavras fizeram com Roen abaixasse a cabeça. -Oh... não fique triste, ela não esta sofrendo tanto, acho que a Hel foi até com a cara dela pois ela tem evitado que a Serpente Estripadora ataque ela...
-Então...-Começava Yukimura - Vamos até esta cidade não aguento mais este frio.
-Frio?Hoje até que esta bem quente o clima daqui. -Falava Godlord sorrindo mostrando seus caninos que eram maiores do que o normal.
O grupo caminhava pesadamente pela as terras inférteis de Nifflhein era possível se ouvir o zumbido do vento, por onde passavam viam pessoas sofrendo, chicotes estalavam nas costas de alguns, o frio congelava a carne de muitos, uma enorme serpente comia as tripas de outros.O sofrimento daquelas pessoas era inevitável e muitas delas mereciam aquele sofrimento. Godlord distraia o grupo contando algumas de suas piadas, o que tornava a caminhada um pouco menos maçante. O grupo caminhava por uma pequena floresta de arvores mortas, que balançavam.
-É medonho este lugar...-falou Yukimura - como um lugar deste tipo pode existir?
-O que você esperava da filha de Loki? -Falava o Sacerdote.
-É terrível demais não espero vir... opa!!Ouviram isto?
-É apenas o vento. - Respondeu o Sacerdote
-Não, não é não!!- Gritou Roen - Olhem!! - As arvores começavam a se mexer suas raízes saiam do chão e elas começavam a se movimentar em direção do grupo, os buracos nas arvores pareciam demonstrar um rosto com um sorriso cadavérico. Do chão saiam armaduras de cor roxa por traz de seus elmos era possível ver olhos vermelhos. Roen e Yukimura tomaram a frente ambos sacando suas espadas. Master rapidamente encantou as armas de ambos com poder sagrado.Yukimura brilhou amarelo afetado pelo efeito de sua Rapidez com Espadas de Duas Mãos.
-Impacto de Tyr!!-Bradou o cavaleiro correndo em cima do grupo de arvores, uma enorme estrela se materializou e Yukimura aplicou um golpe frontal. Um Dulahan avançou contra o cavaleiro mas Roen o acertou com seu escudo mandando ele para longe e acertando outro monstro com um ataque certeiro no peito. Uma musica podia ser ouvida, o seu tom fez com que ambos guerreiros se inspirassem e ambos começaram a atacar mais rápido era notável a diferença, logo apos outra musica começou. Master sacou uma enorme bíblia que tinha uma Cruz na capa e começou a fazer uma oração enquanto segurava uma gema azul na outra mão, ao final da oração o Sacerdote bateu com a gema azul no chão gritou:
-Magnum Exorcismus!! - Um anjo se materializou, uma enorme cruz apareceu no chão e um brilho tomou conta do local. Os monstros soltaram um enorme grito, Loli e GodLord se afastaram do local onde a cruz havia se materializado. A luz parecia destruir o solo amaldiçoado daquele local. O poder do Magnum Exorcimus de Master era enorme pelo menos duas vezes mais forte que o de um sacerdote comum, logo na primeira onda do ataque todos os monstros haviam sido pulverizados e nada deles havia restado. Quando o ataque se dissipou, a coloração do solo estava diferente do resto.
-Vai com calma "cara" se não a gente vai junto. - Brincou GodLord.
-Desculpa,eu acabei me animando,heh.-Sorriu o Sacerdote.
-Não temos muito tempo a perder. - falou Roen.
-Vamos, não falta muito para chegarmos a cidade é logo apos o desfiladeiro. - Disse Loli com tom monótono.
O grupo seguia por uma pequena ponte feita de terra que parecia ter sido construída pela natureza, não demorou muito e chegaram a uma cidade onde as casas pareciam ser construídas de madeira podre, o ar era pesado, a única coisa que se ouvia era o lamento de muitos ali. Roen murmurou alguma coisa que ninguem entendeu no momento. Logo então ele correu em uma direção e todos os seguiram. O templário corria em direção a uma garota ajoelhada e de cabeça baixa, vestida em uma túnica branca muito suja,e seu rosto estava todo machucado. O templário se agachou possou seu escudo ao lado e colocou a mão no rosto da garota que levantou o rosto aos poucos.Ambos se olharam nos olhos, o coração pulsava forte.O templário a abraçou e ela retribuiu o abraço.
-Você veio...-disse Clarissa para o templário-...você veio...
-Eu não podia te deixar vir para este lugar...eu não posso deixar que este terrível destino aconteça com alguem que eu me importo.
-Ro...en...me desculpe...-A garota começava a chorar-eu não devia...m-mas eu tinha que ficar com ele...
-Não se preocupe.Não precisa explicar-Falou o templário.-Eu entendo!
-E-eu...-A garota então desabou em lágrimas Roen abraçava sua cabeça contra seu peito. - Me desculpe...me desculpe...
-Não se preocupe.Agora tudo vai ficar bem...-Falava o templário em tom afável.
-Roen...-Clarissa abaixou a cabeça e logo apos olhou nos olhos do templário era visível a angustia que ela sentia.-E-eu...t-te amo... -O rosto da garota se aproximava do de Roen seus lábios ansiavam pelo os do garoto.Roen colocou dois dedos nos lábios dela impedindo ela de o beijar. - P-por quê?
-Desculpe...mas...eu...não...te amo mais...-Estas palavras bateram como um martelo na garota.-Eu não consigo sentir mais por você o mesmo que eu sentia antes.Meu coração ainda bate forte perto de você, mas não consigo sentir o que sentia antes, eu ainda me preocupo com você.Você ainda é importante para mim, mas o meu sentimento não é mais o mesmo.Me desculpe.Me desculpe mas...eu não consigo mais te amar...-O templário chorava, tudo aquilo era demais para ele, tudo que havia acontecido havia deixado uma enorme ferida nele.Ele não conseguia mais olhar para ela com os mesmos olhos.-Você foi e sempre sera o meu primeiro amor...
-Então você veio fazer o que aqui?-Gritou a garota com lagrimas nos olhos-Tornar meu sofrimento maior?
-Não.Eu vim acabar com ele. Eu ainda me preocupo com você! E não vou deixar que nada de mal lhe aconteça.-Roen sussurava no ouvido dela, deu-lhe um beijo na testa, se levantou e olhou para os amigos.-Vamos até Hel preciso acertar as contas com ela.
Os companheiros assentiram, todos rumavam em direção ao castelo da rainha de Nifflhein. Roen segurava seu crucifixo com força, nos seus olhos era possível ver que ele estava determinado a fazer o que tinha ido ali fazer, estava segurando para não chorar novamente. Não demorou muito e viram o enorme castelo da deusa.Quando estavam prestes a entrar perceberam que o vento começou a soprar mais frio, o ar ficou mais pesado.Uma poderosa voz ecoou pelo o local dizendo:
-Parados Mortais, deste pondo não é permitida sua passagem!!-Todos se viraram e viram o enorme cavaleiro de armadura branca, trazia em sua mão uma enorme lança e na outra um pesado escudo. Estava montado em um cavalo igualmente equipado com uma armadura.-Se pretendem passar deste ponto desembainhem suas armas e enfrentem a mim o Paladino de Hel, O Senhor dos Mortos.

Roen
O.V
O.V

Mensagens : 33
Data de inscrição : 11/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty CApitulo 5

Mensagem  Roen em Sab Dez 28, 2013 5:15 pm

Capitulo V - Senhor dos Mortos
"Nem tudo que conta pode ser contado e nem tudo que pode ser contado conta."Albert Einstain


Musica do capitulo - One - Metallica
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Em frente do grupo estava o Senhor dos Mortos, imponente em sua montaria. Apontava sua enorme lança para o grupo. Era possível ouvir sua pesada respiração por traz de seu elmo. Sua armadura branca fazia barulho. Então falou novamente:
-Parados Mortais, deste pondo não é permitida sua passagem!! Se não saírem daqui agora sentirão minha ira!!
-Eu quero falar com Hel!! - Bradou Roen.
-Já disse que a passagem de vocês não é permitida saiam daqui!!-Disse estendendo a lança.
-Então não vejo outra opção. - Sussurrou Roen.
Rapidamente Roen levou a mão a uma pequena garrafa com um liquido vermelho e o ingeriu.Sentiu seu coração bater mais forte e os pelos se eriçarem. Master ao mesmo tempo já jogava suas bênçãos sobre seu amigo que avançava rapidamente. Yukimura imitou o parceiro e ambos correram em direção ao MvP que avançou com sua lança contra o templário, que bloqueou com seu escudo recuando alguns passos.Isto abriu oportunidade para que o cavaleiro se aproximasse gritando:
-IMPACTO DE TYR!! - Uma enorme estrela se materializou com a velocidade do golpe do cavaleiro e atingiu em cheio o monstro que nem se quer se movimentou.
-Lex Aeterna!!- Bradou o Sacerdote um anjo apareceu jogando espadas translúcidas sobre o Paladino de Hel. Roen se aproximou e atacou com um corte horizontal e outro vertical que formaram uma enorme cruz de luz no ar.
-Vamos sair daqui Loli! Não quero confusões com Hel. - Disse o bardo correndo para dentro de uma das casas acompanhado de sua amiga.
O Monstro avançou novamente com sua lança contra o templário, desta vez o golpe não foi bloqueado e acertou em cheio o peito da armadura derrubando o garoto no chão.O cavalo empinou tentando pisotear o garoto.
-Kyrie Eleyson!! - Gritou o Sacerdote protegendo o amigo que se levantou velozmente e cravou a espada no peito do cavalo, mas não pareceu surtir nenhum efeito. Yukimura pulou de cima de uma casa em cima do cavalo, e se segurou pressionando a lamina da espada contra o pescoço do monstro, mesmo assim com um solavanco jogou o cavaleiro por cima de sua cabeça, a força foi tamanha que o arremessou contra o sacerdote. O Monstro então brandiu sua lança contras os céus e vários cadáveres de guerreiros, conhecidos como andarilhos, se levantaram do chão.
Yukimura se levantou apeou seu Peco-Peco que correu para seu lado e olhou para Roen, que assentiu com a cabeça.Então avançou contra o grupo de andarilhos. Master puxou seu enorme livro que tinha uma grande cruz na capa, e começou a recitar sua oração enquanto segurava uma gema azul. Roen avançou novamente contra o monstro que estocou com sua lança, mas foi surpreendido pela a forma com que o templário desviou a lança com seu escudo e cravou sua espada no cavalo, desta vez lhe acertando o olho direito, mas mais uma vez o corcel se mostrou inabalável. O sacerdote então terminou sua oração e jogou a gema aos pés do cavalo, uma enorme cruz de luz se formou no chão, seu poder sagrado feria gravemente o Senhor dos Mortos, e a cada onda do ataque parecia feri-lo cada vez mais.O templário se aproveitou do momento e atacou com sua Crux Divinum novamente, fazendo o ataque varias vezes. O Magnum Exorcismus de Master então se desfez o monstro então avançou novamente em carga com sua lança contra o templário lhe acertando em cheio no peito e ignorando o dano de retorno vindo pelo o Escudo Refletor, a armadura de Roen quase se partiu com o impacto do golpe. Uma golfada de sangue saiu pela a boca do garoto, que deixou a espada e o escudo caírem. O monstro então brandiu novamente sua enorme lança e acertou o garoto e jogando-o contra seu amigo, empinou o cavalo e com as patas do mesmo tentou esmagar aos dois que se esquivaram rolando um para cada lado.Estocou então, com sua enorme lança na direção do templário, e o acertou em cheio fazendo sua armadura rachar com o golpe.Com uma das patas do cavalo pisou sobre o braço do Sacerdote que gritou de dor. Master tentou se levantar, com dificuldade, e foi jogado no novamente chão por um poderoso golpe do Senhor dos Mortos. Roen se ergueu e o monstro avançou com a lança contra o templário que com um movimento veloz segurou firmemente com suas duas mãos a lança do monstro . Master se levantou segurando o braço ferido e com o outro curou ao seu amigo e ambos lembravam das palavras de sua mestra, ”A dor é sua amiga, ela mostra o seu limite, ela te faz lembrar das coisas que lhe aconteceram, ela lhe torna mais forte e o principal ela mostra que você esta vivo.”

-Disparo de Esferas Espirituais!! – Gritava a Mestra, as esferas que a rodeavam se juntaram entre suas mãos formando uma maior e acertaram o espadachim que estava na sua frente diretamente no peito fazendo-o voar contra uma arvore. – Levantem-se é só disto do que vocês são capazes?
-E-eu vou m-mostrar p-para v-você...-murmurava o espadachim se levantando com dificuldade e olhando para o noviço caído ao seu lado -M-Master v-você esta bem?
-E-Estou...M-mas ela não p-pega leve...C-curar!!Benção!!Aum...- O garoto então recebeu um soco direto na boca e seu amigo recebeu uma joelhada no estomago que o fez vomitar um pouco de sangue.
-Repito:”É só disto que vocês são capazes?” Não liguem para a dor que estão sentindo ignore-a ela apenas ira atrapalha-los, use-a a seu favor faça dela sua amiga, ela não esta aqui para atrapalhar a vocês dois...-Usagui então pisou na mão do espadachim que tentava alcançar sua espada – ... a determinação dos dois não adianta de nada se vocês não saberem dominar algo tão simplório como isto. Esvaziem suas mentes pensem apenas no combate. Foquem no que é importante no momento. Não deixem que a dor os domine, dominem-na...

Roen olhou para Master que assentiu com a cabeça, a interação dos dois era incrível já tinham passado por vários combates juntos e não era necessário palavras para que um soube-se o que o outro planejava. Com uma força fora do comum Roen empurrou a lança, fazendo com que o monstro recua-se.Correu e pegou sua espada que estava caída no chão.Assoviou alto e seu Grand-Peco correu rápido em sua direção e ainda em movimento o templário montou no animal.O Senhor dos Mortos avançava na direção deles, o templário então ficou de pé em cima do Grand-Peco e saltou contra o enorme monstro perfurando-lhe a armadura com a espada e fazendo-o cair do cavalo com Roen em cima dele.
-Master, agora!!- berrou o garoto
-Magnum Exorcismus !!-Berrou o sacerdote, uma enorme cruz de luz se materializou. O monstro gritava alto com a dor que estava sentindo. Roen mantinha a espada cravada contra o peito dele e gritou: -Morra agora!!Crux Magnum!! – Outra grande cruz de luz apareceu e ambas começaram a queimar o monstro. Roen sofria a dor de seu próprio ataque, mas não se importava, a dor não existia, apenas o jubilo, apenas o embalo, apenas a vitória. As duas cruzes brilhavam intensamente no meio de Nifflhein como dois faróis em uma escura noite.
A armadura do monstro se desfazia aos poucos, ele ia se tornando apenas pó seu cavalo tentava bater com seus cascos contra o templário mas este apenas o ignorava.O monstro então se desfez junto de seu poderoso corcel como se nunca houvessem existidos. No rosto do templário que estava caído no chão havia um sorriso.O sacerdote se aproximou do templário mancando e segurando o braço ferido. Pegou um pequeno frasco com um liquido branco, uma poção concentrada feita pelo o melhor preparador de poções, e deu para o amigo beber.
-Vencemos?-Perguntou Roen.
-Você ainda duvida seu maldito?- Respondeu o Sacerdote com um sorriso.
-Hey seus dois maricas, levantem-se, não temos um trabalho a fazer? – Se aproximava Yukimura segurando em uma das mãos a cabeça de um dos andarilhos e na outra puxava o arreio de seu Peco-Peco. Roen e Master se levantaram, o sacerdote lançou suas bênçãos sobre todos e curou ao seu braço o suficiente para que pudesse mexe-lo sem muitos problemas. E o grupo adentrou pelo o palácio da rainha dos mortos: Hel.

Roen
O.V
O.V

Mensagens : 33
Data de inscrição : 11/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty Capitulo Final

Mensagem  Roen em Sab Dez 28, 2013 5:16 pm

Capitulo Final - Conclusão
"Ninguém morre por falta de sexo.É por falta de amor que nós morremos" Margaret Atwood


Musica do Capitulo - What i've Done - Linkin Park
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

O grupo andava pelo grande palácio da rainha dos mortos, poucos sabiam o caminho para chegar até este lugar e muitos eram levados por um homem. Mas Roen e Master já haviam estado em Nifflhein e haviam descoberto o caminho. Avançavam por um grande corredor com várias riquezas. Yukimura olhava espantado para imensidão do local, e olhava para tudo. Iam se encontrar com a rainha dos mortos. O grupo chegou até um grande salão onde sentada em um grande trono branco estava um linda mulher. Seus longos cabelos eram negros e seus olhos profundos.

-Ora, ora! Que surpresa ver mortais aqui!O que vocês vem fazer em meu domínio? - Declarou a Mulher.
-Eu vim aqui interceder por uma alma que veio para cá! - Bradou o Templário.
-É? E o que lhe faz pensar que eu: Hel.Irei ouvir o clamor de um mortal como você. - A rainha dos mortos então se apoiou em um dos braços do trono com o cotovelo e apoiou a cabeça em sua mão enquanto cruzava suas pernas escondidas até então pelo longo vestido que ela usava.

-Ela veio para aqui injustamente, prometeu sua própria alma no lugar da de um falso amor.
-Hmm.Acho que sei de quem você fala...Mas o que você quer que eu faça? Que eu a traga de volta a vida?
-Não. Sei que eu não tenho este direito. Venho lhe pedir que deixe que ela vá para Asgard.Não quero este sofrimento para ela.
-E o que lhe faz pensar garoto que eu irei conceder isto depois que você matou DUAS vezes o meu paladino, quase destruído minha fonte e arranjado confusão com uma bruxa que mora em meus domínios? Ou vocês acham que eu não sei que vocês fizeram todas estas coisas?

-Eu quero fazer uma troca. – Falou o templário ignorando o comentário da deusa.
-Uma troca? Deixa eu adivinhar - um sorriso começava a se formar nos lábios da senhora dos mortos enquanto olhava nos olhos do templário- você quer trocar sua alma pelo o direito de ela ir para Asgard? Você acha que quero sua alma? Ela esta até sendo privilegiada, os piores castigos deste lugar não estão sendo impostos a ela.

-E por que não iria querer?Não é uma troca justa?-Falava Master.
-Na verdade, não? Acho que o certo de dizer, seria que não posso fazer isto.
-Por que não? – Indagou o templário.
-Isto você descobrirá mortal, tudo tem o seu tempo... e esta não é a hora. -Disse a senhora dos mortos com malicia. E descendo do trono em direção aos guerreiros.- Não são muitos que tem a ousadia que vocês tem, e é isto que eu aprecio em vocês humanos. Esta determinação, esta vontade de chegar mais longe, esta loucura de vocês.-Ela agora caminhava em volta do grupo analisando-os um por um.- Por isto que as coisas por aqui estão indo tão bem... tenho que admitir que vocês vieram em um dia até que estou de ótimo humor. Por isto desta vez irei fazer uma concessão a vocês, mas tem um porem.... não quero mais vê-los em meus domínios, vocês já me trouxeram problemas demais, não vou aceitar a presença de vocês aqui nem que seja apenas para pegar água da minha fonte.

-Fico grato por sua generosidade. – Agradeceu Roen em tom aliviado
-Não agradeça a mim, agradeça aos belos olhos deste sacerdote que poderia deixar de servir a Odin para ser um seguidor meu. Teria muitos privilégios até. – Disse a senhora dos mortos dando uma piscadela enquanto passava o dedo indicador pelo o peito de Master que ficava ruborizado. – Agora saiam daqui não quero vê-los nunca mais.
O grupo de imediato saiu do palácio sem demora, logo após a saída do grupo uma figura saia logo atrás do trono, seus longos cabelos loiros caiam em cachos, e seus olhos verdes encaravam Hel. A figura então deu alguns passos a frente e disse:
-Ele esta ficando mais forte. Sinceramente eu esperava que ele chegasse a tal ponto.
-Qual? O de ficar me dando problemas? Já tinha dito que era totalmente contra este plano ridículo de vocês.
-Era necessário, ele precisa se tornar mais forte. Precisamos forjar o guerreiro perfeito, um campeão que poderá lutar contra o mal supremo. E para isto precisamos fazer sacrifícios.
-Sacrifícios eh? E você? Quantos mais irá fazer em nome desta causa?

A figura então se calou e olhou dentro dos olhos da deusa com desprezo, sabia que mais que ninguém havia feito sacrifícios em nome desta causa, mas era necessário.

-Farei quantos forem necessários...-Sussurrou a figura.
-Então esta é sua escolha serva de Odin.

A serva então saiu a passos lentos do recinto, olhou para o céu do local e não viu a presença das estrelas. Segurou uma lagrima e levantou voou. A figura de Hel aparecia fora do castelo, e com seus olhos seguia a serva contra o céu noturno até não poder enxergá-la mais.

-Coitada desta ai.-Sussurrou a deusa e seguiu para dentro do seu palácio elevando a voz – Jakk traga me uma garrafa de vinho.


O grupo avançava por Nifflhein, haviam completado sua missão. Se encontraram mais uma vez com Loli e GodLord e se despediram. O grupo avançou tranquilamente, ninguém falava nada. Mais uma vez avistaram Clarissa acorrentada. Roen se aproximou tranquilamente da garota que estava ajoelhada em prantos. O templário se ajoelhou e passou a mão em seu rosto com um afago. A garota olhou para ele com seus olhos tristes.

-Esta tudo acabado.Agora você esta livre e poderá descansar em paz no Valhala.
-Nos veremos de novo? – Chorava a garota.
-Sim. Não se preocupe, nos veremos de novo no Valhala. Um dia. – O templário segurava as mãos da garota.
-Agora vamos. – Dizia uma voz atrás do garoto, quando ele se virou viu uma Valquiria. Seus olhos se encontraram e ela sentiu um aperto no coração.
-Você que ira leva-la? – Indagou Roen.
-Sim.
-Posso ao menos saber quem é a Valquiria que irá leva-la?
-Eu sou Brunhild. A Valquiria Randgris.- A serva então pegou sua lança e quebrou as correntes que prendiam a moça e a segurou nos braços. Roen e Clarissa se olharam mais uma vez. A valquiria olhou mais uma vez para o templário e levantou vôo.
-Uma aventura e tanta essa não? – Falou Yukimura – E agora? Como que saímos daqui?

Roen abaixou a cabeça coçou os olhos com a parte posterior da mão, sorriu e disse:
-Master esta com a tecla do piano ai?
-Claro!! Ou você acha que eu ia dar um mole desses?
-Então vamos!!

O grupo seguia firmemente. Estavam mais fortes, haviam enfrentado um dos monstros mais temidos. Lutaram com determinação, e venceram, Foram onde muitos caíram e superaram seus limites. Foram até o inferno e estavam voltando. Eram muito mais que um simples grupo eram guerreiros de Midgard.

Roen
O.V
O.V

Mensagens : 33
Data de inscrição : 11/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

 [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno Empty Re: [FanFic]Crônicas de um Guerreiro Vol.3 - Inferno

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum